Editorial

Como será o próximo capítulo?

Por: Melissa Schirmanoff
April 17, 2021, 7 a.m.

Quando menos se espera, acontece.

Uma semana depois de anunciar o encerramento da fase emergencial da quarentena – a mais rigorosa até agora - e colocar todo o estado na fase vermelha, liberando a volta de alguns serviços, além do retorno das aulas presenciais nas redes públicas e privadas e de autorizar a retomada de competições esportivas, como os jogos do Campeonato Paulista; o Estado anunciou mais um avanço rumo à flexibilização criando uma fase de transição entre a vermelha e a laranja.

Não houve grandes mudanças na última semana nos critérios que norteiam as medidas adotadas e o consequente avanço no faseamento. O número de óbitos por Covid-19 continuam elevados assim como a ocupação de leitos de UTI (85% em todo o Estado). Houve apenas uma ligeira queda no número de novas internações e, portanto, creio que tanto eu quanto você já percebeu o quanto são inconsistentes todos esses critérios.

A vacinação anunciada como solução não atingiu ainda a maioria da população.

Quando não falta oxigênio, faltam medicamentos para intubação.

Nos pedem para ficar em casa mas as crianças podem se expor para ir à escola.

E agora uma parte do comércio deve aguardar mais uma semana para reabrir, mas não explicam o que eles entendem que aconteceria se tudo reabrisse agora seguindo as normas sanitárias e com ocupação controlada dos estabelecimentos.

A nova fase anunciada chamada de transição, tal como a mais restritiva do Plano SP, a emergencial, não foi identificada com nenhuma cor e por isso espera-se que seja tão logo página virada nessa triste história construída no dia a dia dessa pandemia que já quebrou a economia.