Murilo Coura - Foto: Daniel Smorigo
Pódio Sub 14 - Foto: Daniel Smorigo
Pódio Sub 12 - Foto: Daniel Smorigo
Vini Palma - campeão paulista Sub 10 - Foto: Daniel Smorigo
Daniel Adisaka - Foto: Daniel Smorigo
Ryan Kainalo - Foto: Daniel Smorigo
Sophia Medina - bicampeã paulista Sub 16 - Foto: Daniel Smorigo

Surf

Ryan Kainalo fatura o 7º título e Daniel Adisaka é o tri da júnior no Hang Loose Surf Attack, em Itamambuca

Campeonato definiu os campeões paulistas de base na temporada

Por: Redação
Nov. 21, 2020, 7 a.m.

 

O terceiro e último dia do The Surf Clube SCCP apresenta Hang Loose Surf Attack foi de “colecionadores” de títulos na quarta-feira (18), na Praia de Itamambuca, em Ubatuba. E a festa foi “caseira” nas duas conquistas comemoradas. Ryan Kainalo chegou à incrível marca de sete vezes campeão paulista, ao assegurar o bicampeonato da categoria mirim (sub16), enquanto que Daniel Adisaka fez uma despedida e tanto da categoria júnior (sub18), com o tricampeonato estadual.

As decisões finais do evento foram marcadas pelo alto nível técnico dos atletas, que na linguagem popular do surf, “quebraram” nas ondas. Além dos dois campeões, destaque para Caio Costa, de São Sebastião, que foi o vice na mirim e ainda o quinto na júnior e o catarinense Léo Casal, terceiro na sub16 e sétimo na sub18. Murilo Coura, de São Sebastião, que um dia antes havia garantido o título paulista sub14 (superando Ryan Kainalo) chegou a mais uma final, sendo o quarto na categoria acima.

Se no segundo dia de disputas, o sétimo título de Ryan escapou de suas mãos, desta vez, ele venceu e convenceu. Murilo começou bem, com uma nota 7, mas o bicampeão mirim logo tomou conta da situação, com uma direita muito boa, igualando a melhor nota do evento, um 9,25 pontos, feita pelo paranaense Anuar Chiah, campeão da sub12, ainda na segunda-feira.

Caio Costa ficou em segundo, Léo Casal ainda reagiu, com um 8,40, mas não teve tempo de virar o resultado, ficando em terceiro e Murilo foi o quarto, para consagrar Ryan, numa bateria impecável e que ganhou ainda mais emoção com a narração do locutor Paulo Issa, enaltecendo os grandes talentos dessa nova geração do surf brasileiro. “Estou feliz. Quero agradecer todos que torceram por mim”, comemorou.

“Foi bem especial. Na sub14 eu fiz as melhores notas, maiores somatórias, mas na final não consegui surfar muito bem. Hoje, coloquei como meta ganhar alguma categoria acima da minha. Graças a Deus foi tudo certo”, disse o surfista, que já foi bicampeão petit, bi na estreante, campeão na iniciante e agora também tem duas conquistas na mirim.

Na última bateria do evento, o título júnior também foi marcado pelo alto nível técnico nas ondas. Daniel Adisaka teve as duas melhores ondas da disputa para assegurar o seu terceiro caneco seguido no Hang Loose Surf Attack. Cauã Gonçalves, de São Sebastião, campeão mirim em 2019, ainda saltou da quarta para a segunda posição no final, deixando o cearense radicado no RJ, Cauã Costa, em terceiro, e o potiguar Mateus Sena em quarto.

“Com certeza estou extremamente feliz. Esse era o meu último ano de júnior e fechar com chave de ouro é muito bom. Só tenho mesmo de agradecer a Deus e aqueles que estão comigo nessa caminhada, meus pais, minha família. O tempo está passando, estamos evoluindo, crescendo no surf, em tudo”, falou Dani.

 

Murilo Coura é o campeão sub14 e Anuar Chiah leva a sub12

 

três campeões foram definidos no The Surf Clube SCCP apresenta Hang Loose Surf Attack nesta terça-feira (17) na Praia de Itamambuca, em Ubatuba. Murilo Coura, de São Sebastião, garantiu seu segundo título seguido, agora na categoria iniciante (sub14) e barrou a sequência de conquistas de Ryan Kainalo, de Ubatuba, numa final acirrada e emocionante.

Na estreante (sub12) o paranaense Anuar Chiah foi o melhor (pela terceira vez na competição) e, então, o ubatubense Kailani Rennó, segundo colocado na disputa, foi declarado o campeão paulista. O tradicional campeonato de base já tinha definido os títulos de Sophia Medina como bicampeã feminina e Vini Palma na petit (sub10) e tem suas últimas decisões nesta quarta-feira (18), na mirim (até 16 anos) e júnior (no máximo 18 anos), tudo com transmissão ao vivo pela internet.

Nas finais de terça-feira, Anuar, com um back side afiado, seguiu competindo muito bem. Ele já tinha a maior nota do evento, feita na segunda-feira, um 9,25. Ele enfrentou três ubatubenses e manteve a superioridade, ficando a disputa pelo segundo lugar e pelo título estadual, entre Kailani Rennó e Eduardo Mulford.

Kailani levou a melhor para ser campeão paulista pela terceira vez, curiosamente, as três vezes com Anuar sendo o número 1 do ranking geral. “Estou muito feliz de ter vencido aqui, gosto muito dessa praia. O Hang Loose é um campeonato muito bom e é importante para ter visibilidade. São 11 horas de viagem, mas sempre venho”, disse Anuar, que é de Matinhos, já faturou duas vezes a petit e também comemorou a volta das competições e por rever os amigos. “Ficar sem poder viajar foi muito ruim, mas o Paulista voltou e foi muito legal”.

Kailani também vibrou com o resultado, em ser o melhor do Estado mais uma vez – duas na petit e agora na estreante. “Só tenho a agradecer. Peguei várias ondas boas no campeonato. Na final consegui achar umas ondas boas”, falou o atleta, que quer se especializar em tubos e, para isso, vem treinando muito, sobretudo na Praia do Félix. “Estou aprendendo e quero ser o maior tube rider que já existiu”, afirmou o surfista, que tem como grande incentivador o experiente big rider Zecão, seu pai.

Na final da iniciante, mais uma vez a disputa entre Murilo e Ryan. Os dois já se enfrentaram várias. No ano passado o surfista de Ubatuba levou na sub14 e na sub16 e tentava agora garantir o seu terceiro bicampeonato (foi na petit e na estreante). Já Murilo sagrou-se campeão na sub12 em 2019.

Desta vez, os dois se alternaram na frente, mas o novo campeão teve as duas melhores notas, um 7,00 e fechou com um 7,10, com um aéreo, virando na última onda. “A bateria foi muito emocionante. O Ryan é um competidor muito bom e vencer com um aéreo, manobra que estou tentando desde o início da quarentena botar no pé, foi muito legal. Estou muito feliz, fazia tempo que não sentia o gosto da vitória”, comemorou.

 

Sophia Medina garante o bi paulista na feminina e Vini Palma é o novo campeão estadual sub10

 

O primeiro dia começou com a categoria estreante (sub12) e o paranaense Anuar Chiah mostrou porque é o atual campeão, somando incríveis 18 pontos nas duas melhores ondas, com direito à maior nota, um 9,25. Já na petit, muitos atletas novos surgindo e o melhor, muitas meninas competindo. Carol Bastides, de Guarujá, teve uma das melhores médias da categoria e chegou até as quartas-de-final.

Outro destaque foi Nelson Nagata, que fez a sua estreia em disputas, com apenas 5 anos de idade. Competindo “em casa”, o filho da ex-surfista e hoje organizadora de campeonatos, Natali Paola, e do filmmaker Erick Nagata é sobrinho dos surfistas Wiggolly Dantas (ex-CT), Wesley Dantas (campeão mundial júnior) e Suelen Naraísa (bicampeã brasileira profissional), que acompanharam de perto a jovem promessa.

Na final, Vini, com um surf de borda, abriu com um 7,5, repetiu a nota e depois ampliou a vantagem com um 7,65, para garantir sua primeira vitória no Hang Loose Surf Attack e seu primeiro título importante. Calebe Simões, de Ubatuba, foi o segundo, com o paraibano Arthur Vilar em terceiro e o catarinense Michel Demétrio em quarto.

“Estou muito feliz e esse título é para o meu pai, que faz aniversário na quarta-feira. Eu sempre falava que um dia queria ser campeão paulista e consegui. Sempre treinava pensando isso, com foco”, vibrou o surfista de nove anos, fã dos campeões mundiais, o australiano Mick Fanning e os brasileiros Italo Ferreira e Gabriel Medina.

 

Bicampeã - Entre as meninas, Sophia veio de uma grande apresentação na etapa do CBSurf Pro Tour, também em Ubatuba, fazendo final entre as profissionais, mesmo com apenas 15 anos de idade. Mostrou sua superioridade desde a bateria de estreia, com a maior média, 15,15 pontos.

Na decisão, garantiu a vitória com suas duas primeiras ondas, um 6,25 e um 7,25, “abusando” dos snaps, para garantir o bicampeonato (também foi campeã da estreia da categoria em 2018). Sua companheira de treino, xará e campeã do ano passado, Sophia Gonçalves, ficou em segundo, com Kemily Sampaio, mais uma promessa de Praia Grande, em terceiro, e a catarinense Kiany Hyakutake em quarto.

“Estou muito feliz, venho treinando bastante. Esse foi um ano difícil, sem muitas competições, mas continuei minha preparação e deu certo agora nas competições do final do ano. Agora é foco para o próximo”, falou Sophia, que na quinta-feira, na mesma praia, defende a liderança do CBSurf Júnior Tour na sub16, tentando o bicampeonato brasileiro da categoria.

 

Ubatuba - Foram três dias de disputas, consagrando também Sophia Medina, de São Sebastião, como bicampeã feminina; Vini Palma, de Praia Grande, como o novo campeão entre os caçulas da petit (10 anos para baixo); Murilo Coura, também de São Sebastião, campeão iniciante (sub14) e Anuar Chiah, o melhor da estreante (sub12), com Kailani Rennó, de Ubatuba, sendo declarado campeão estadual.

O evento também garantiu o título por cidades para Ubatuba, com São Sebastião, ficando em segundo lugar e Praia Grande em terceiro, os três municípios que tiveram campeões individuais. Os resultados completos do The Surf Club SCCP apresenta Hang Loose Surf Attack 2020 estão disponíveis no link   fpsurf.com.br/eventos/20/hla/hla01/aovivo3.php.

“Foi um ano desafiador, mas conseguimos realizar os títulos paulistas, manter a tradição do Hang Loose Surf Attack dos últimos 26 anos. Tenho de agradecer o apoio e empenho da Prefeitura, da Associação Ubatuba de Surf e, sobretudo, do Álfio Lagnado (proprietário da Hang Loose)”, disse o presidente da Federação Paulista de Surf, Silvio da Silva, o Silvério.

 

CBSURF JÚNIOR TOUR - Na quinta-feira (19), ele já estará à frente da 2ª etapa Silverbay apresenta CBSurf Júnior Tour, no mesmo local. Serão dois dias de disputa, reunindo 136 atletas de 11 estados, em seis categorias, a sub18, a sub16 e a sub14, todas no masculino e feminino. “Foi a melhor solução unir forças com a CBSurf para reunir os melhores do País em cinco dias de disputas”, acrescentou.

O The Surf Club SCCP apresenta Hang Loose Surf Attack 2020 teve os patrocínios de Sthill, Departamento de Esportes Radicais do Corinthians e Rhyno Foam. Apoios: Overboard, Surf Trip, Super Tubes e Kyw. Colaboração da Secretaria de Esportes, da Prefeitura Municipal de Ubatuba. Divulgacão: Waves e FMA Notícias. Organização: Federação Paulista de Surf e Associação Ubatuba de Surf (AUS).

 

RESULTADOS OFICIAIS DO DIA 18/11

 

CATEGORIA SUB16

 

1 Ryan Kainalo – Ubatuba – campeão paulista

2 Caio Costa – São Sebastião

3 Léo Casal – SC

4 Murilo Coura – São Sebastião

5 Gabriel Klaussner – Ubatuba

5 Sunny Pires - RJ

7 Kayki Araújo – BA (SC)

7 Daniel Duarte - Bertioga

 

CATEGORIA SUB18

 

1 Daniel Adisaka – Ubatuba – campeão paulista

2 Cauã Gonçalves – São Sebastião

3 Cauã Costa – CE (RJ)

4 Mateus Sena - RN

5 Ryan Kainalo - Ubatuba

5 Caio Costa – São Sebastião

7 Léo Casal - SC

7 Fabrício Rocha – São Sebastião

 

 CIDADES

 

1 Ubatuba - 6.442 pontos

2 São Sebastião - 6.271

3 Praia Grande - 2.528

4 Guarujá - 2.318

5 Bertioga - 2.105

6 Santos - 1.359

7 São Vicente - 692

8 Mongaguá - 379

9 Peruíbe - 282

10 Caraguatatuba - 118

11 Ilhabela – 80