- Foto: Divulgação

Educação em pauta

Confira as mais recentes notícias sobre educação em tópicos

Por: Redação
Oct. 17, 2020, 7 a.m.

 

Escolas particulares querem ensino remoto como exceção em 2021

Mesmo com a permissão de atividades remotas para a educação básica até o fim de 2021, escolas particulares de São Paulo avaliam que a continuidade das atividades letivas online só deve ocorrer pontualmente no próximo ano. No entanto, afirmam que o cenário ainda é incerto e depende do controle da pandemia. Na semana passada, o CNE (Conselho Nacional de Educação) aprovou resolução que estendeu a permissão de atividades remotas para o ensino básico e superior, público e particular, até o fim do próximo ano. A definição da carga horária a distância, no entanto, terá que ser feita por cada rede de ensino ou instituição.

Fonte: Folha de S. Paulo

 

Oito em cada dez cidades não veem condição para reabrir escolas em 2020 por causa da pandemia

Mais de seis meses após o fechamento das escolas pela pandemia de covid-19, 3.275 municípios brasileiros ainda não veem condições sanitárias para retomar as aulas presenciais na rede básica de ensino tanto em escolas públicas, como privadas, neste ano. O número equivale a 82% das cidades consultadas em pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). A CNM ainda levantou a situação das escolas em 96 países. Segundo a entidade, 38 estão com as escolas abertas, 33 com as escolas parcialmente abertas e 25 permanecem com colégios fechados. No Brasil, foram ouvidos 3.988 municípios (71,6% do total), onde estão 31,4 milhões de estudantes da educação básica.

Fonte: Estado de S. Paulo

 

Alunos podem ser reprovados em 2020? Entenda cenários para escolas

Em meio à volta às aulas gradual nas escolas, pais e professores acumulam dúvidas sobre como o ano letivo de 2020 será organizado e se os estudantes poderão ser reprovados caso não tenham bom desempenho ou frequência suficiente. A recomendação do Conselho Nacional de Educação (CNE) é de que se evite a reprovação escolar, em função da situação atípica de aprendizagem na pandemia. Não há norma do Ministério do Educação (MEC) sobre o assunto. O documento também recomenda que as escolas não deem faltas aos estudantes no período de pandemia, uma vez que há dificuldades em checar a presença de alunos nas aulas remotas. Essa decisão cabe a cada escola ou rede de ensino.

Fonte: Estadão

 

Brasil tem 2,6 milhões de professores; posição no ranking global de agressão a educadores assusta

O Brasil tem 2,6 milhões de professores - o que equivale a 1,2% da população brasileira, sendo destes, 2,2 milhões docentes da educação básica das redes pública e privada. Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), realizada com 15,6 mil professores aponta que, na pandemia, 82% dos profissionais disseram que as horas de trabalho aumentaram; 69% declararam ter medo por não saberem como será o retorno à normalidade; 50% declararam ter medo do futuro. De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil é o 1º no ranking global de agressão a educadores. / Fonte: G1

 

 Falando nisso:

Educadores relatam qual presente gostariam de ganhar no Dia do Professor

De abraço coletivo (proibido na pandemia) ao reconhecimento da importância da educação de qualidade e valorização da profissão, estes são os presentes que docentes gostariam de ganhar no Dia do Professor, comemorado nesta última quinta-feira, 15. Diante do novo coronavírus, educadores precisaram se reinventar para manter o aprendizado dos alunos. Para alguns, plataformas online das escolas ajudaram no processo. Outros precisaram e ainda precisam lidar com dificuldades de alunos que não têm equipamentos eletrônicos ou acesso ao ambiente virtual. Em meio ao esforço, dedicação e carinho, também precisam lidar com os preparativos e desafios para a retomada das aulas presenciais. Docentes ouvidos pelo Estadão demonstram a falta que faz o convívio diário com os alunos, não somente para o aprendizado, mas também com relação ao lado afetivo. No Dia do Professor, eles desejam que a educação possa um dia ser de qualidade para todos.

Fonte: Estadão

 

Volta às aulas presenciais: como acolher as crianças sem abraçar?

A necessidade de não ter contato físico é, ainda, um obstáculo no retorno das aulas presenciais, principalmente na educação infantil. Afinal, como acolher as crianças sem abraçar? Já reparou que quando uma criança se machuca, é para os braços de um cuidador, que ela admira e confia, que ela corre? Quando alegre, é também esse adulto que ela procura, muitas vezes corporalmente, com a intenção de compartilhar sua felicidade. Surge, então, um novo desafio aos educadores: promover o acolhimento dos alunos e alunas sem tocar. Os abraços precisam ser substituídos por olhares, gestos e palavras. Mas como colocar tudo isso em prática?

Fonte: Escolas Exponenciais

 

Ânima e Ser Educacional disputam Laureate Brasil

O grupo educacional americano Laureate, que está vendendo sua operação brasileira, escolheu a proposta da Ânima para disputar o ativo com a Ser Educacional. O outro grupo que concorria pelo negócio era a Yduqs, dona da marca Estácio, até então, considerada a favorita para a aquisição. A Ânima reforçou em sua proposta que uma transação com a Yduqs poderia gerar problemas concorrenciais no Conselho Administrativo Defesa Econômica (Cade) e arrastar a negociação por até um ano, período que o órgão antitruste tem para dar seu aval. Esse ponto é relevante porque os fundos controladores da Laureate têm pressa - querem se desfazer de toda a operação no mundo ainda em 2020.

Fonte: Valor Econômico

 

Mulheres vencem dois importantes prêmios mundiais de matemática

Duas importantes premiações internacionais atribuídas às pesquisadoras do Impa (Instituto de Matemática Pura e Aplicada) Luna Lomonaco e Carolina Araújo vieram realçar a importância de promover e incentivar a presença das mulheres na ciência e, particularmente, na matemática. Araújo foi anunciada a vencedora da edição 2020 do Prêmio Ramanujan, concedido anualmente desde 2005, pelo Centro Internacional de Física Teórica, da Unesco, em reconhecimento da pesquisa de alto nível de jovens matemáticos no mundo em desenvolvimento. E no mesmo mês o Prêmio Reconhecimento da União Matemática da América Latina fora concedido a Lomonaco por sua pesquisa fora de série em sistemas dinâmicos. É a primeira vez que o prêmio, criado em 2000, é concedido a uma mulher.

Fonte: Folha de S. Paulo