- Foto: Claudio Gomes

Editorial

Velhos problemas

Por: Melissa Schirmanoff
Sept. 12, 2020, 7 a.m.

 

Conforme previsto, as praias do Litoral Norte receberam muitos turistas durante o feriado prolongado de 7 de setembro.

O tempo não estava tão bom como no final de semana anterior em que o Sol forte brilhou num céu azul maravilhoso, mesmo assim todas as cidades litorâneas registraram um grande movimento tanto na areia quanto nas orlas.

Cena comum eram as aglomerações sem a utilização de máscaras. Problema que já havia sido registrado na semana anterior.

A tão prometida fiscalização não aconteceu tal como deveria.

Os prefeitos de Caraguatatuba, São Sebastião e Ubatuba solicitaram ajuda ao Estado, para controlar e orientar os turistas e moradores a seguirem as normas sanitárias como evitar as aglomerações e o uso de máscara, mas na prática as irregularidades correram solto em todas as cidades.

E o tal reforço policial, se chegou, ninguém notou.

No quesito fiscalização Ubatuba talvez tenha sido a pior.

Enquanto Caraguatatuba e São Sebastião realizaram barreiras sanitárias educativas nas entradas das cidades, checando temperatura dos turistas, reforçando a importância do uso de máscara e de se evitar aglomerações; em São Sebastião, inclusive, com sanitização dos veículos, e Ilhabela, além das mesmas orientações exigia o preenchimento de um termo de responsabilidade, Ubatuba se limitou à fiscalização pelas equipes da Secretaria da Fazenda, Vigilância Sanitária e a Guarda Civil Municipal.

De dia houve aglomerações nas praias e sem uso de máscaras e à noite uma mega aglomeração de jovens em toda a orla da Praia Grande foi registrada enquanto no Centro da cidade outra grande aglomeração se registrou com som alto e durante toda a noite literalmente.

Fiscalização? Zero. Dispersão? Nenhuma. Polícia? Não compareceu.

Mas não foram somente esses problemas que chamaram a atenção.

Bastou mais um final de semana para que a coleta de lixo fosse afetada. Lixos que não foram recolhidos nos dias e horários habituais se acumularam e espalharam pelos bairros e ainda não voltaram à normalidade deixando a população sem saber qual é o dia e o horário da coleta. Ou mudaram o cronograma de coleta sem avisar e a população tem agora que adivinhar?

Outra questão é o trânsito: típico de verão e que dispensa apresentação.

Além do trânsito parado ou extremamente lento nas rodovias, principalmente em direção às praias, também se constatou uma maior falta de fluidez no trânsito com a reforma da avenida Iperoig, algo que já era esperado, inclusive.

Se esse é o esquenta para a alta temporada que vem por aí, já ficou claro que há muito a ser feito por parte da administração pública. Velhos problemas aliados aos novos que foram criados precisam de atenção e solução!