IFGF Caraguatatuba - Foto: Tabela Firjan 2019
IFGF Ilhabela - Foto: Tabela Firjan 2019
IFGF São Sebastião - Foto: Tabela Firjan 2019
IFGF Ubatuba - Foto: Tabela Firjan 2019
IFGF Bertioga - Foto: Tabela Firjan 2019

Administração Pública

Índice Firjan revela desempenho na gestão fiscal das cidades brasileiras

None

Por: Redação do Jornal A Cidade
Nov. 4, 2019, 8:15 p.m.

A cidade de Caraguatatuba tem a melhor gestão fiscal entre as Prefeituras do Litoral Norte. É o que aponta os dados de 2018 do Índice Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) divulgado na semana passada e que avaliou as contas de 5.337 municípios de todo o Brasil.

O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) apresenta uma radiografia completa da situação das contas públicas municipais. O índice é inteiramente construído com base em resultados fiscais oficiais, declarados pelas próprias prefeituras à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), e é composto por quatro indicadores: Autonomia,  com Pessoal, Investimentos e Liquidez. A leitura dos resultados é bastante simples: a pontuação varia entre 0 e 1, sendo que quanto mais próxima de 1 melhor a gestão fiscal do município.

Resultados superiores a 0,8 ponto indica “Gestão de Excelência”. De 0,6 a 0,8 ponto o município é avaliado como “Boa Gestão”, enquanto de 0,4 a 0,6 como “Gestão em Dificuldade” e resultados inferiores a 0,4 ponto aponta “Gestão Crítica”.

Nesta edição, o índice faz referência ao ano de 2018 e avalia as contas de 5.337 municípios. Este estudo aborda os principais desafios para a gestão fiscal nos municípios do estado de São Paulo. Foram analisadas as contas de 631 dos 645 municípios paulistas, onde vivem 45,3 milhões de pessoas – 99,6% da população estadual.

 

Classificação das cidades do Litoral Norte

 

Caraguatatuba apresentou 0,8443 de pontuação geral, ou seja, classificada como gestão fiscal de excelência. No item liquidez e gastos com pessoal, a cidade apareceu com nota máxima de 1.000 pontos. No indicador autonomia apresentou a nota 0,8762.

Contudo, no item investimentos, a cidade atingiu apenas 0,5009, o que significa que há dificuldade na gestão nesse quesito.

Apesar disso os dados apontam que Caraguatatuba ocupa a 16ª posição no Estado de São Paulo e 110ª posição entre os municípios brasileiros, à frente de municípios importantes da Região Metropolitana do Vale e Litoral, como São José dos Campos.

Ubatuba obteve 0,5266 de pontuação geral o que a classifica como gestão em dificuldade.

No item liquidez atingiu 0,4428 e no item gastos com pessoal 0,5250 indicando ambos, gestão em dificuldade. Já no item autonomia, obteve 1,000 pontos, elevando a cidade à classificação de gestão de excelência nesse quesito. No entanto, no item investimentos, Ubatuba obteve apenas 0,1387, classificando-a como gestão crítica nesse item específico.

No ranking das cidades do Estado de São Paulo do índice IFGF, Ubatuba ocupa a 392ª posição e a de 2.094º entre os municípios brasileiros.

Ilhabela ficou com 0,7566 na pontuação geral classificando-a como boa gestão. Nos itens gastos com pessoal, liquidez e investimentos obteve 1,000 pontos. Em compensação, no item autonomia, obteve 0,266 classificando-a como gestão crítica nesse quesito. Entre as cidades do Estado de São Paulo, ficou em 49º lugar e dentre todos os municípios do Brasil, ficou em 361º lugar.

São Sebastião obteve pontuação máxima nos itens autonomia, gastos com pessoal e liquidez mas em investimentos, a pontuação foi de apenas 0,3437 equivalendo a uma gestão crítica nesse quesito. Ainda assim, ficou em 18º lugar no ranking das cidades do Estado de São Paulo e em 130º no nacional. No índice geral do IFGF, São Sebastião ficou com 0,8359, e portanto, classificada como gestão de excelência.

Bertioga, que também integra o Litoral Norte, ficou classificada em 238º lugar dentre as cidades do Estado e em 1269º lugar entre 5.237 municípios do país com 0,6147 pontos no índice IFGF, ou seja, foi classificada como tendo uma boa gestão. A classificação de Bertioga se deve ao fato de ter obtido pontuação máxima no item autonomia; 0,6387 com gestão de pessoal; 0,348 com liquidez e 0,1851 com investimentos.

 

Classificação da gestão conforme a pontuação obtida:

 

Gestão de Excelência: resultados superiores a 0,8 ponto.

Boa Gestão: resultados entre 0,6 e 0,8 ponto.

Gestão em Dificuldade: resultados entre 0,4 e 0,6 ponto.

Gestão Crítica: resultados inferiores a 0,4 ponto.

 

Fonte: Índice Firjan de Gestão Fiscal