- Foto: Divulgação

Educação

Processo de Alfabetização: Se ouvir de um educador que seu filho “não sabe nada”, desconfie e investigue!

Por: Alessandra Soares Ramiro
Sept. 7, 2019, 7 a.m.

 

Quando um profissional da área da educação avalia uma criança principalmente no processo de alfabetização (momento em que o cérebro faz conexões, os sons se conectam e aparece em forma de registro a leitura e a escrita) e fala que ela “não sabe nada”, averigue.

Uma criança em processo de alfabetização está construindo através dos estímulos vivenciados o conceito de leitura do mundo em que vive. Antes de ser leitor convencional, ou seja, ler letras, sílabas, palavras e textos, a leitura acontece através das imagens do mundo que a cerca. Quando começa a falar coloca em prática a leitura que fez do seu entorno e dos estímulos recebidos. Assim é também no processo de ler e escrever: a criança vai através das experiências com a escrita e leitura com músicas, histórias, contato com o seu nome, nome dos amigos e familiares e com os objetos do dia a dia associando letras com imagens. O cérebro vai se preparando para os sons se associarem com as letras e a criança se apropriar da escrita, leitura e interpelação das mesmas.

O que é importante lembrar é que cada criança é única e possui ritmos e estímulos diferentes, ou seja, não há uma regra de que com 6 anos e 10 dias, por exemplo, a criança vai acordar lendo tudo à sua volta. Esse processo se dá de criança para criança e até um certo momento é esperado que essas conexões aconteçam e é considerado normal. Profissionais e escolas capacitadas sabem realizar sondagens prévias para entender cada criança com olhar preventivo para saber se a criança está dentro do esperado para que a formação da leitura e da escrita aconteça no tempo certo, sem comparações que o amigo tem a idade exatamente igual e esse lê e o outro não. Uma criança estimulada pela escola e pela casa, só não irá desenvolver essas habilidades no tempo certo caso haja alguma patologia, fora isso acontecerá normalmente e naturalmente.

Ler e escrever é como aprender a andar, tem crianças que andam com 10 meses, outras com 1 ano, e isso não quer dizer que o que andou com 10 meses anda melhor do que o que andou com 1 ano. Assim é a alfabetização, o motor ‘andar’ ou ‘escrever’ depende dos estímulos que são recebidos e do tempo de conexões que o cérebro faz para que possa colocar em prática aquele aprendizado.

É impossível uma criança ser estimulada em sua vida na escola, na educação infantil, e em casa pelos pais e ser avaliada aos 6 anos, por exemplo, como ‘não sabe nada’. Desconfie, averigue e não aceite a avaliação de um profissional apenas porque você pode estar mudando a história de vida de uma criança por uma avaliação inconsistente.

Se ouvir que uma criança ‘não sabe nada’, ao menos desconfie!